Legumes crus com queijo de iogurte

Olá seguidorxs do QTMDC! Mais uma vez peço desculpas por ter ficado tanto tempo sem postar por aqui. Passei por momentos difíceis recentemente, com a partida do Billy, meu companheiro de quatro patas. Billy era um cocker dourado lindo e glutão, que eu chamava de meu co-piloto na cozinha. Era só eu começar a preparar algo que lá estava ele, deitado no tapete da cozinha a me observar, e a esperar algum petisco. Billy tinha um coração enorme, maior ainda que as orelhas! Porém, a idade fez com que esse grande coraçãozinho fosse ficando fraco, até parar. Foi uma convivência linda e deliciosa de 15 anos, e tenho certeza que vocês podem imaginar o quanto ele está fazendo falta. E a falta, faz com que a gente perca um pouco a vontade de fazer as coisas, mesmo aquelas que a gente mais gosta. E foi por isso que me ausentei um pouco do blog. Mas dizem que o tempo cura tudo, e dessa forma, aos poucos, estou tentando voltar à minha rotina… Ou melhor, aos poucos estou tentando criar uma nova rotina sem ele, o que tem sido bem doloroso, mas sei que de uma forma ou de outra ele estará sempre comigo!
A receita de hoje é como o Billy, linda e alegre! Sempre gostei de fazer palitos de cenoura e pepinos com molhinhos como petiscos para recepções e festas, e quando vi essa opção de queijo de iogurte como acompanhamento para os legumes em um dos episódios do Cozinha Prática da Rita Lobo, adorei. É muito fácil, você só precisa fazer com antecedência, pois o soro tem que ficar drenando por no mínimo 8 horas.

PARA O QUEIJO DE IOGURTE

INGREDIENTES

– 4 potes de iogurte natural (170 g cada)
– 1 colher de chá de sal
– folhas de hortelã picadas a gosto
– orégano a gosto
– azeite a gosto
–  sal a gosto

MODO DE PREPARO: forre uma peneira com um pano de algodão fino e limpo e apoie sobre uma tigela funda – se a tigela for rasa, o soro drenado fica em contato com o iogurte. Pode ser papel toalha ou filtro de café descartável também, eu testei e deu certo! Numa tigela, misture o iogurte com o sal e transfira para a peneira forrada. Leve para a geladeira e deixe drenar por 8 a 12 horas – o iogurte vai liberar o soro aos poucos e ficar com a consistência de uma coalhada firme. Se necessário, durante a drenagem, descarte o líquido para evitar o contato do soro com o iogurte. Assim que estiver firme, retire da geladeira.
Para temperar com hortelã: numa tigela pequena, misture metade do queijo com a hortelã picada e 1 colher de sopa de azeite. Prove e acerte o sal. Regue com um fio de azeite e decore com folhas de hortelã.
Para temperar com orégano: numa tigela, coloque cerca de 3 colheres de sopa de azeite. Com o auxílio de 2 colheres de sobremesa, raspe e modele o queijo, formando bolinhas. Transfira para a tigela com azeite, tempere com orégano a gosto e regue com mais um fio de azeite.
Eu fiz em 3 versões,  com hortelã, com orégano e puro, apenas com azeite.
Conserve na geladeira, coberto com filme, por até 5 dias.

PARA OS LEGUMES

INGREDIENTES

– 1 cenoura média
– 1 pepino japonês
– 1 pimentão amarelo
– 4 rabanetes pequenos

MODO DE PREPARO: lave e seque a cenoura, o pepino, o pimentão amarelo e os rabanetes. Descasque, descarte as pontas e corte a cenoura ao meio, no sentido da largura. Corte cada metade em fatias e as fatias em tiras. Descarte as pontas e corte o pepino ao meio, no sentido do comprimento. Com uma colher de chá, raspe e descarte as sementes do pepino. Corte cada metade ao meio, no sentido da largura e fatie em tiras grossas. Corte o pimentão ao meio, no sentido do comprimento. Corte e descarte as pontas, sementes e a parte branca do pimentão. Fatie cada metade em tiras de cerca de 1 cm de espessura. Mantenha a casca e parte da rama dos rabanetes. Corte cada um em quartos. Numa travessa grande, disponha os legumes fatiados e sirva a seguir com o queijo de iogurte temperado.

 

 

Anúncios

Batatas rústicas assadas com alecrim

Aperitivo ou acompanhamento? Eu amo essas batatas de qualquer jeito, seja no happy hour, tomando uma cervejinha gelada, ou acompanhando carnes, aves ou peixes, elas sempre são muito bem-vindas. Além de super saborosas e perfumadas, elas são mais saudáveis que as batatas fritas, pois são assadas no forno. Eu usei apenas alecrim para aromatizá-las, porque era a única erva que eu tinha em casa. Mas você também pode usar tomilho, sálvia, e pode colocar alguns dentes de alho (com casca) para assar junto com elas, que também fica uma delícia!

Ingredientes

– 3 batatas lavadas com casca ( pode ser qualquer batata, eu prefiro usar a asterix).

– 3 ramos de alecrim.

– 3 colheres de sopa de azeite.

– sal grosso a gosto.

Modo de preparo: Preaqueça o forno a 210 °C (temperatura média). Lave e seque bem as batatas e o alecrim. Numa tábua, corte as batatas em gomos (no sentido do comprimento, corte em metades até formar gomos na espessura que desejar. Transfira os gomos para uma panela, cubra com água e tempere com uma colher de chá de sal (eu uso sal grosso mas pode ser sal comum). Leve ao fogo alto e, quando água começar a ferver, deixe cozinhar por 5 minutos. Retire do fogo, passe as batatas para uma peneira e deixe por alguns minutos para escorrer bem a água. Transfira para uma assadeira, junte o alecrim, e regue com o azeite. Misture bem para envolver as batatas com o azeite. Espalhe os gomos por toda a assadeira, sem encostar ou sobrepor um no outro. Tempere com sal grosso. Leve ao forno preaquecido para assar por cerca de 40 minutos. Na metade do tempo, vire os pedaços com uma pinça. Também é bom mexer um pouco (chacoalhar) a assadeira de vez em quando para que as batatas não grudem. Retire do forno, disponha sobre papel toalha por alguns segundos, para ficarem bem sequinhas, e sirva em seguida!

Dica

A quantidade de batatas depende do tamanho da porção que você depende fazer.

Assista o vídeo da receita

Sopa creme de mandioquinha ou batata-baroa

Hoje é sexta-feira, a semana está chegando ao fim, e para finalizar a série especial com pratos para deixar o inverno menos frio e mais gostoso, postarei mais uma receita fácil e deliciosa de sopa! Além de fácil essa sopa creme é super simples, leva pouquíssimos ingredientes. O que não quer dizer que ela não fique muito saborosa.

Ingredientes

– 4 mandioquinhas (batata-baroa).

– 1 cebola.

– 2 dentes de alho.

– 1 colher de sopa de azeite.

– 4 xícaras de chá de água.

– sal e pimenta-do-reino a gosto.

Modo de Preparo: descasque as mandioquinhas e corte-as em rodelas grandes. Pique a cebola e o alho. Leve uma panelinha ao fogo médio. Quando aquecer, regue com o azeite. Junte a cebola e refogue, mexendo sempre, até ficar transparente. Neste momento, junte o alho e misture por 1 minuto. Acrescente as rodelas de mandioquinha, a água e misture novamente. Tempere com sal e pimenta-do-reino e deixe cozinhar por 10 minutos ou até que a mandioquinha fique macia, desmanchando. Durante o cozimento a panela deve ficar parcialmente tampada. Desligue o fogo. Bata tudo com o mixer na própria panela, com cuidado para não se queimar. Se preferir, deixe esfriar um pouco, transfira para o liquidificador, e bata até que fique uma sopa lisa. Se ficar muito espessa, coloque um pouco mais de água quente. Verifique o sabor; se quiser, tempere com sal e pimenta-do-reino. Um fio de azeite também vai bem. Volte o creme para a panela, ferva um minutinho e pronto! Sirva quente.

Pãozinho com mozzarella, alho e ervas

A semana mal começou e já terminou. Um feriado prolongado assim no meio do ano, quando a gente já está pedindo férias, cai muito bem, né? E o que cai bem também e combina perfeitamente com véspera de feriado, são esses deliciosos pãezinhos, que são ótimos para petiscar! Apesar de ter que sovar a massa e esperar o tempo de fermentação, eles são bem simples e fáceis de fazer. Os meus já estão aqui, prontinhos, só esperando o happy hour para serem devorados! 😍 🍺

Para a massa

– 1 3/4 xícara de chá de farinha de trigo.

– 1 colher de chá de fermento seco instantâneo.

– 1/2 colher de chá de sal.

– 1 colher de sopa de azeite extravirgem.

– 1/2 xícara de chá de água quente.

Modo de preparo: juntar a farinha, o fermento e o sal em uma tigela grande e abrir uma cavidade no centro. Adicionar o azeite e a água e misturar até formar uma massa homogênea. Sovar em uma superfície enfarinhada por 5 a 10 minutos, até a massa ficar macia e elástica. Colocar em uma tigela untada com azeite e cobrir com filme plástico. Deixar descansar em local aquecido por cerca de 1 hora ou até dobrar o volume.

Preaquecer o forno a 220º e untar a forma. Dividir a massa em 8 partes iguais,  modelar os pães em bolinhas e dispor na forma afastados uns dos outros, pois irão crescer. Passar para a parte da cobertura.

Para a cobertura

– 2 colheres de sopa de azeite extravirgem.

– 2 dentes de alho amassados.

– 150 g de mozzarella fatiada.

– pimenta-do-reino a gosto.

.- Alecrim e tomilho

Modo de preparo: misturar o alho com o azeite e espalhar sobre os pãezinhos. Cobrir com o queijo e temperar com pimenta-do-reino. Assar por cerca de 15 minutos ou até dourar e gratinar o queijo. Retirar do forno e salpicar tomilho e alecrim. Servir em seguida!

Dicas

Podemos fazer outras variações de cobertura, ao invés de tomilho e alecrim, podemos salpicar salsinha sobre o queijo, por exemplo. Também fica uma delícia!

Focaccia com sal grosso e alecrim

Continuando no clima italiano, resolvi postar hoje outra receita que, assim como o pavê de maracujá,  já se tornou um clássico aqui em casa, a focaccia com sal grosso e alecrim. A focaccia é um tipo de pão italiano mais fino, semelhante a massa de pizza. Sua espessura tem no máximo 02cm e a sua textura, macia por dentro e crocante por fora, é uma delícia! Faço sempre e vai muito bem como aperitivo ou antepasto e dependendo do clima, acompanhada por uma cerveja gelada, ou por um vinho tinto. Não sou muito de fazer pão, sou cliente de vários lugares que oferecem pães maravilhosos, mas pra mim, a focaccia comprada não é nada comparada à caseira. Além disso, ela deixa um cheirinho delicioso de alecrim na casa enquanto está assando…

E pra quem tem medo de fazer pão porque acha que é complicado, porque tem o tempo de fermentação, porque tem que sovar, etc, essa receita – que peguei do site da Rita Lobo – é super detalhada, não tem erro.

Para o fermento

Ingredientes

– 1 xícara  de chá de farinha de trigo

– 1 tablete de fermento biológico

– 1 colher de sopa de mel

– 2 colheres de sopa de azeite

Modo de Preparo: levar 1 1/2 xícara de chá de água ao fogo, apenas para amornar, sem deixar ferver – caso contrário, o calor irá matar o fermento em vez de ativá-lo. Numa tigela, misturar o fermento com o mel, até ficar liso. Dica: unte com óleo (ou azeite) a colher de sopa para medir o mel, assim ele não fica grudado. Juntar a metade da água e 1 xícara de chá de farinha de trigo na tigela com o fermento. Misture bem e regue com o restante da água e junte o azeite. Mexa bem até que a mistura fique lisa. Tampe com um prato e deixe descansar por 30 minutos.

Para o pão

Ingredientes

– 1 1/4 de xícara de chá de farinha de trigo

– 1 1/4 de xícara de chá de farinha de trigo integral

– 2 colheres de chá de sal

Modo de Preparo: numa tigela grande, misturar as farinhas com o sal. Juntar o fermento preparado e misturar bem com as mãos, até obter uma massa lisa. Nesse ponto, ela fica bem mole, grudando nas mãos. Transferir a massa para uma superfície bem enfarinhada e sovar por 10 minutos, juntando mais farinha até dar o ponto, que é quando a massa desgruda das mãos. Em seguida, untar uma tigela grande com um pouco de azeite e colocar a massa para descansar e crescer por 1 hora. Cubra com um pano de prato limpo e úmido.

Para a cobertura e montagem

Ingredientes

– 1 ramo de alecrim

– 1 colher de chá de sal grosso

– 3 colheres de sopa de azeite

Modo de Preparo: preaquecer o forno a 180 °C (temperatura média). Numa assadeira antiaderente de cerca de 30 x 25 cm, espalhe 1 colher (sopa) de azeite. Transferir a massa para a assadeira, virando a tigela delicadamente. Unte as pontas dos dedos com azeite e vá fazendo furinhos na massa ao mesmo tempo que espalha, dando um formato ovalado. Não é necessário cobrir todo o fundo. Distribuir uniformemente os ramos de alecrim e regar com o azeite restante. Com a ponta do dedo, espalhe mais um pouco de azeite nos raminhos de alecrim. Polvilhe com o sal grosso. Levar ao forno para assar por 30 minutos ou até que as bordas fiquem douradas.

Dica

Da primeira vez que eu fiz, não tinha a farinha integral em casa, então utilizei apenas a farinha de trigo comum. Deu tão certo e ficou tão boa, que desde então não faço de outra forma! Porém, se você quiser uma versão um pouco mais saudável, é só seguir a receita original.

Sopa creme de ervilhas

Está um friozinho bom em São Paulo desde o início da semana. Nesses dias onde o clima é de “não quero sair debaixo das cobertas “, nada melhor que tomar uma sopinha, para esquentar o corpo e o coração❤️.  E é justamente isso que eu vou fazer hoje: sopa creme de ervilhas! Para incrementar um pouco e dar bossa à receita, resolvi adicionar um pouco de paio e bacon ao caldo, porque cá entre nós, ninguém consegue ser saudável o tempo inteiro, né?! E eu adoooro bacon! Mas voltando à sopa, o modo de preparo é bem simples, não vai precisar de panela de pressão nem nada. Para você ter uma noção, o mais complicado será a parte de bater tudo no liquidificador. Então vamos à receita!

Ingredientes:

– 1 1/2 xícara de ervilhas secas lavadas e escorridas.

– aproximadamente 6 xícaras de água fervente.

– bacon em cubos a gosto (coloquei aproximadamente 60g).

– fatias de paio cortadas em meia-lua a gosto (coloquei meio paio).

– 1 colher de chá (cheia) de sal.

– azeite.

Modo de preparo: Aquecer aproximadamente 1 colher de sopa de azeite e fritar o bacon com o paio. Quando estiverem fritos, tirar com uma escumadeira e reservar. Neste mesmo azeite que fritou o bacon com o paio, adicionar 1 1/ 2xícara de ervilhas secas e escorridas. Temperar com 1 colher de chá de sal e fritar um pouco. Adicionar 5 xícaras de água fervente e deixar cozinhar em fogo médio até que as ervilhas estejam desmanchando. Como não utilizaremos panela de pressão, esse processo irá demorar um pouco, mais ou menos uns 40 minutos. Ir mexendo de vez em quando para facilitar que as ervilhas se desmanchem e dessa forma, engrossar o caldo. Se nesse tempo a água secar, ir acrescentando mais aos poucos. Assim que as ervilhas estiverem bem moles e desmanchando, desligar o fogo. Transferir o caldo para o liquidificador e bater até formar um creme. Se ficar muito espesso, acrescentar um pouco de água (pode ser fria mesmo) para dar o ponto. Transferir o creme novamente para a panela, adicionar o bacon e o paio fritos e levar para ferver um pouco em fogo baixo. O creme de ervilhas está pronto! Para finalizar, um fio de azeite, uma salsinha picada, et voilá!