Dica do fim de semana: Kebab Salonu

A dica de hoje é relativamente nova para mim também, que descobri esse espaço de culinária turca super próximo à minha casa há pouco tempo e desde então, já voltei lá diversas vezes. O Kebab Salonu fica em um desses complexos de lojinhas de rua, no Sumarezinho, em São Paulo. Com espaço reduzido, os pedidos são feitos diretamente no balcão. Entre as deliciosas pides (esfihas turcas) que são preparadas lá mesmo no local, e os kebabs (de picanha de cordeiro, de falafel, de kafta entre outros, que custam em média R$35,00) enrolados  com pão lavosh também assado na hora, eles ainda servem combos como por exemplo o de kafta de cordeiro, acompanhado de salada turca, feijão branco e trigo refogado, e porções, como a de falafel – que é incrível – , e as fritas com zaatar, meu acompanhamento predileto para qualquer uma das combinações acima. Se você gosta da culinária turca, vale a pena conhecer!

Kebab Salonu
Av. Heitor Penteado, nº699 – Lj 6
Sumarezinho – São Paulo
http://kebabsalonu.com.br/

Anúncios

Dica do fim de semana: Festival de Sopas do CEAGESP

A dica boa de hoje tem tudo a ver com frio que tem feito aqui em Sampa, é o já conhecido festival de sopas do CEAGESP. O festival já virou destino fixo no meu roteiro de inverno e é só começar a esfriar que eu já fico com vontade de correr pro CEAGESP e me esquentar com as diversas sopas sempre deliciosas que o cardápio oferece. O festival surgiu a partir de uma das já tradicionais atrações gastronômicas de São Paulo nas décadas de 60 e 70: a sopa de cebola do antigo CEASA. No começo, o prato era servido apenas para os comerciantes, seus empregados e clientes, como um dos pratos do antigo restaurante que funcionava no local, mas ganhou tanta fama que começou a ficar conhecida também fora do CEAGESP, e logo conquistou o paladar dos amantes da boa gastronomia e boêmios, que buscavam opções de refeições na madrugada. Em 1.980 o restaurante que servia a sopa fechou, e em 2.009 – quase 30 anos depois – em razão das comemorações dos 40 anos do CEAGESP, foi criado o festival de sopas, cujo cardápio incluía a saudosa sopa de cebola. Desde então ela é o único prato fixo do cardárpio do festival, que acontece todo ano e tem, além da sopa de cebola, mais três opções de sopas, que mudam toda semana. O visitante pode saborear à vontade todos os tipos de sopa de buffet self-service, quantas vezes quiser, ao valor fixo de R$32,90. E a partir desse mês de julho até o final do festival, uma novidade: sopa delivery! As pessoas podem receber em casa todas as sopas, assim como as sobremesas e bebidas. O cardápio de sopas você pode acompanhar pelo site oficial do festival, assim como mais informações sobre o delivery. Se você ainda não conhece o festival de sopas do CEAGESP, ainda está em tempo! Ele acontece até 30/08 e funciona de quarta a domingo, a partir das 18h. Às quartas, quintas e domingo, até a meia-noite e às sextas e sábados até às 2h da manhã.

Festival de sopas CEAGESP
Av. Dr. Gastão Vidigal –  Vila Leopoldina, altura do nº 1.946,
Entrada pelo portão 4.
Estacionamento no local.

Dica do fim de semana: MoDi Gastronomia

Pode dar dica de fim de semana na segunda-feira?! 😁

Não consegui postar no final de semana, me perdoem. Prometo que depois posto uma receita bem gostosa para compensar a minha falha!

Há algum tempo tinha vontade de conhecer o restaurante MoDi. Confesso que o desejo vinha mais da arquiteta do que da blogueira amante da gastronomia, pois certa vez assisti uma matéria sobre o restaurante  e sobre o  edifício em que ele se encontra e me encantei. Situado na rua Alagoas, no bairro de Higienópolis, de frente para a charmosíssima praça Buenos Aires, fica o Edifício Paquita. O prédio, erguido nos anos 40, é um dos mais belos exemplares de edifício modernista de São Paulo. No térreo do edifício, circundado pela bela fachada de vidro e em meio aos pilares que sustentam o pé-direito duplo de 6m, está o MoDi. Embora tenha me interessado primeiramente pelo edifício, posso dizer que me impressionei igualmente com o restaurante. Nesse ambiente belo e aconchegante, a casa aposta na simplicidade. Despojado e de inspiração italiana, o forte do restaurante são as massas, feitas na própria casa. Com preços bem abaixo da média que a maioria dos restaurantes da região, os pratos variam entre R$25,00 e R$33,00, e a opção mais cara do cardápio é a paleta de cordeiro com massa, que sai por R$44,00. Uma ótima opção é o bigoli in salsa (foto), a R$29,00. O fusilli ao ragu de linguiça picante – nem tão picante assim -, a R$26,00 também é delicioso. O couvert de R$ 5 traz focaccia caseira e capponata. As entradas vão de R$ 7,00, como a sopa fria de beterraba, a R$ 17,00, como o crocante filé à milanesa com tomate. A minha preferia é o ravióli de gema caipira na manteira de trufas, a R$ 13,00. Entre as sobremesas, o cannoli siciliano (R$11,00) é sempre uma boa pedida!

MoDi Gastronomia
Rua Alagoas, nº475 – Higienópolis
São Paulo – S.P.
https://www.facebook.com/ModiGastronomia

Dica do fim de semana: Casa Mathilde – Doçaria tradicional portuguesa.

O sábado e o domingo foram agitados, mas cá estou eu, aos 45 do segundo tempo, para dar a dica do fim de semana para os seguidores do “Quem tem medo de cozinha?”! E hoje a dica vai para os amantes das guloseimas portuguesas! Localizada no centro velho de São Paulo, mais precisamente na Praça Antonio Prado, está a Casa Mathilde, doçaria especializada em doces portugueses. Lá encontraremos doces já conhecidos pelos brasileiros, como o pastel de nata ou pastel de Belém (R$5,80), o pastel de Santa Clara (R$7,00), o suspiro (R$3,80) o pastel de São Bento, o travesseiro de Sintra, entre outros. Também encontraremos doces menos tradicionais, porém não menos saborosos, como bolos e petit fours. As opções são muitas e a decisão difícil… É impossível comer só um. Todos os doces são fabricados pela própria Casa Mathilde e produzidos no local. O meu preferido é o pastel de nata, sempre quentinho, tem recheio bem cremoso e é super crocante! Sem nenhum exagero, é o melhor pastel de nata de São Paulo na minha opinião. A doçaria também serve salgados, cafés, e outras bebidas quentes. Apesar de estar sempre lotada e as filas serem longas, a espera não costuma demorar muito. O atendimento é rápido, ágil e atencioso. Vale a pena conhecer!

Casa Mathilde
Praça Antonio Prado, nº 76
São Paulo – S.P.
http://casamathilde.com.br/pt/

Dica do fim de semana: Bar do Luiz Fernandes

Bom dia! Hoje é sábado e o friozinho continua aqui em Sampa, apesar de o dia estar azul e ensolarado. Vocês ainda não sabem mas vou contar uma outra novidade agora: fim de semana não é dia de receita mas dia de dicas! Sim, a cada fim de semana indicarei algum lugar legal, seja restaurante, bar, boteco, café, onde costumo ir, ou que acabei de descobrir, e que acho que vale a pena conhecerem. Gostaram? Então fiquem de olho que teremos muita coisa boa por aqui! Ou não (caetanando), pois se tiver algo que não corresponda às minhas expectativas, também vou contar pra vocês!

Apesar do frio e da vontade de ficar na cama, tive que levantar cedo para levar o meu coraçãozinho externo, quer dizer, o Billy, um cocker spaniel caramelo, peludo, de olhar terno e orelhudo, ao veterinário. Meio chato, porque tem uma fila enorme de pacientes, demora, está um dia bonito e eu gostaria de fazer outra coisa. Mas a notícia boa é que o consultório fica na zona norte, e o que temos na zona norte?! O Bar do Luiz Fernandes, o melhor bar da zona norte na minha opinião! Frequento o bar há um bom tempo, desde quando eu bebia apenas refrigerante. Isso faz uns 25 anos e nessa época eu morava na zona norte. Hoje as coisas estão um pouco diferentes, não bebo apenas refrigerante, não moro mais na zona norte, mas sempre que passo por lá dou um jeito de comer um petisco e tomar uma cerveja gelada! Então, hoje é dia!

O Bar do Luiz Fernandes existe há 44 anos. Antigamente era um sobradinho, hoje em dia está maior, mas ainda preserva a cara de boteco. Os drinks e os petiscos são preparados pelos próprios donos do bar, o seu Luiz e a dona Idalina. O filho deles, Edu, faz o atendimento ao cliente. Além das porções, o bar conta com um balcão com uma variedade grande de acepipes. O bolinho de carne é incrível e o carro chefe do bar, mas o meu preferido é o carequinha, um bolinho que foi criado para comemorar os quarenta anos do bar. Ele leva aliche, alcachofra, mussarela e tomate seco no recheio, e isso tudo é envolvido por uma deliciosa massa de batata.
Se você ainda não conhece o bar do Luiz, precisa conhecer!

Bar do Luiz Fernandes

Rua Augusto Tolle, 610 – Santana – S.P.

http://bardoluizfernandes.com.br/