Canjica

Para continuar na sequência das receitas de festas juninas e comemorar a chegada do inverno, que começa hoje, que tal uma canjica quentinha? Essa receita é realmente excepcional, tenho certeza que você nunca comeu uma canjica tão cremosa como essa!

INGREDIENTES

– 1 xícara de chá de canjica
– 1 litro de água
– 1 garrafa de leite de coco (200 ml)
– 2 canelas em rama
– 1 xícara de leite
– 1 lata de leite condensado
– canela em pó para polvilhar

MODO DE PREPARO: numa tigela grande coloque a canjica e regue com a água. Cubra com um prato e leve para a geladeira. Deixe de molho por 12 horas. Passado o tempo do demolho, transfira a canjica com a água para a panela de pressão. Junte o leite de coco e a canela em rama e misture. Tampe a panela e leve ao fogo médio para cozinhar. Quando começar a apitar, diminua o fogo e deixe cozinhar por 25 minutos. Após os 25 minutos de cozimento, desligue o fogo e espere toda a pressão sair antes de abrir. Abra a panela, misture 1 xícara de leite e 1 lata de leite condensado e mexa bem. Leve a panela sem a tampa de volta ao fogo baixo e deixe cozinhar por mais 10 minutos, mexendo de vez em quando. Transfira a canjica para um recipiente, polvilhe canela em pó, e pronto!

DICA

Se quiser uma canjica menos cremosa, é só adicionar mais leite.

Se quiser, também pode adicionar cravo junto com a canela em rama. Confesso que prefiro sem, pois não sou muito fã de cravo.

Anúncios

Bolo de pamonha

Continuando no tema das festas juninas e aproveitando o friozinho que tem feito em Sampaulo nesses últimos dias, resolvi fazer hoje um bolo de milho que a gente pode comer quentinho! Ele fica tão cremoso, que foi apelidado de bolo de pamonha, e ao invés de usar o garfo, o ideal é comê-lo em colheradas. Pode-se dizer que é um exemplar perfeito da “comfort food” brasileira. Acompanhado de um cafezinho então, nem se fala. Hum… É comer e se sentir acariciadx…

INGREDIENTES
–  2 xícaras de chá de milho em lata (sem a água) ou milho cru debulhado.
– 1 xícara de chá de leite
– 2/3 de xícara de chá de açúcar
– 1 colher de sopa de manteiga em temperatura ambiente
– 2 ovos
– 1/4 de xícara de chá de fubá
– 1 colher de sopa de fermento em pó
– manteiga e fubá para polvilhar
– canela em pó a gosto para polvilhar


MODO DE PREPARO: preaqueça o forno a 180 ºC (temperatura média). Unte com manteiga um refratário pequeno. Polvilhe com fubá. No liquidificador coloque o milho, o leite, o açúcar e a manteiga. Bata até triturar bem os grãos. Acrescente os ovos e bata para misturar. Junte o fubá e o fermento e bata apenas para misturar – a consistência da massa é bem líquida. Transfira a massa de bolo para o refratário untado e leve ao forno preaquecido. Deixe assar por cerca de 45 minutos até começar a dourar na superfície. Para verificar se o bolo está assado espete um palito: o bolo deve estar assado na superfície mas ainda cremoso no centro. Retire do forno e deixe esfriar. Sirva polvilhado com canela em pó.

DICAS

Já que esse bolo é cremoso para comer quente ou frio, em colheradas e não em fatias, você também pode assá-lo em recipientes individuais, assim como eu fiz!

 

 

 

 

Doce de abóbora

Viva! Junho chegou e com ele as festas juninas! Eu adoro festa junina, porque é onde tooodas aquelas guloseimas perfeitas para se comer no frio se reúnem: bolo de fubá, canjica, curau, pipoca, arroz doce, bombocado, pé de moleque, maria mole, cocada, bolo de milho, maçã do amor, milho cozido, paçoca, doce de leite, espetinho de churrasco… Sem falar nas bebidas: vinho quente, batida de frutas, quentão… Ai, que perdição! Bom, para comemorar então o início das festas juninas, vou compartilhar com vocês algumas receitas dessas guloseimas, e vou começar com o doce de abóbora.
Sozinho ou acompanhado por um queijinho, o doce de abóbora é uma delícia, né? Além disso é super fácil de preparar!

INGREDIENTES

– 1 kg de abóbora de pescoço (aquela mais laranjinha) descascada e cortada em cubos
– 2 xícaras de chá de açúcar demerara
– 5 cravos-da-índia
– 1 canela em rama

MODO DE PREPARO: numa panela grande, coloque os cubos de abóbora, o açúcar, os cravos e a canela em rama. Misture, tampe e leve ao fogo baixo. Deixe cozinhar por 30 minutos, até que a abóbora fique macia e solte água para formar uma calda. Mexa de vez em quando para não grudar no fundo. Passados os 30 minutos iniciais, abra e mantenha a panela em fogo baixo. Deixe cozinhar por mais cerca de 40 minutos para a abóbora desmanchar e a calda secar – mexa de vez em quando, pressionando os cubos de abóbora para formar uma pasta. No final do cozimento o doce ainda deve estar úmido, ele absorve a calda e fica mais firme ao esfriar. Desligue o fogo, transfira o doce para um pote de vidro e deixe amornar. Feche e leve para a geladeira. Pode ser conservado na geladeira por até 20 dias, num pote com fechamento hermético.

 

Batata rosti

Hoje o QTMD traz uma receita de origem suíça, a batata suíça, também conhecida no Brasil por batata rösti ou batata rostie. A palavra rösti, significa fina e crocante. Dessa forma, a batata rösti que originalmente é composta por batata, bacon, queijo e salsinha, frita em manteiga ou óleo, é servida em forma de uma panqueca fina. No brasil, nós adicionamos um pouco de criatividade e sustância (!) incorporando recheios variados à receita original, e criando a batata suíça, uma derivação da rösti, só que mais robusta. A versão que eu preparei foi com recheio de queijo cheddar e bacon, que era o que tinha em casa, e ficou uma delícia!

INGREDIENTES
– 6 batatas médias
– sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto
– queijo cheddar em fatias (por volta de 6 fatias, ou a quantidade desejada)
– bacon em cubos

Modo de preparo: lave, descasque e passe as batatas na parte grossa do ralador. Sobre uma tigela, abra um pano de prato limpo e coloque as batatas raladas no centro. Una as pontas do pano, formando uma trouxinha, torça e esprema bem para extrair toda a água das batatas – isso evita que elas grudem na frigideira na hora de fazer a rosti. Despreze toda a água. Abra o pano e tempere as batatas com sal e pimenta-do-reino a gosto. Leve ao fogo baixo uma frigideira grande com cerca de 30 cm de diâmetro. Quando aquecer, adicione 1 1/2 colher de sopa  de azeite. Gire a frigideira para untar todo o fundo e laterais com o azeite. Mantenha a frigideira em fogo baixo e distribua metade das batatas raladas até cobrir o fundo da frigideira. Pressione com uma espátula para formar uma camada uniforme. Coloque o queijo fatiado e o bacon – deixe cerca de 2 cm de toda a borda livre para evitar que o recheio vaze e a rosti grude nas laterais. Cubra com o restante das batatas raladas e, com a espátula, pressione para nivelar e selar as laterais. Regue a lateral da frigideira com o restante do azeite para garantir que a rosti solte na hora de virar. Deixe cozinhar em fogo baixo por 12 minutos para dourar a base. Para dourar o outro lado: retire a frigideira do fogo e, com a espátula, solte as laterais e o fundo da batata rosti. Deslize toda a rosti sobre um prato grande, cubra com a frigideira e vire de uma só vez. Volte a frigideira ao fogo baixo, deixe cozinhar por mais 12 minutos e desligue e fogo. Sirva a seguir!

DICAS

– Eu utilizei duas frigideiras que se encaixam (aquelas de fazer omelete) para não ter que virar no prato e deu super certo. Você também pode usar duas frigideiras comuns do mesmo tamanho.

– Os recheios podem ser inúmeros, é só usar a criatividade!

Aí vai o passo a passo da receita